JPL-JORNAL---OFICIAL-

domingo 16, junho, 2024 - 8:10

Tá na Mídia

Quando o público se confunde com o privado

Com o avanço da tecnologia e o surgimento das mídias sociais, grande parte da sociedade

image_printImprimir

A grande difusão de informações espalhadas nas redes sociais trouxe consigo aspectos positivos e negativos, passaram a existir problemas que não está presente apenas no mundo virtual, mas também fora dele. Com o avanço da tecnologia e o surgimento das mídias sociais, grande parte da sociedade se submetem a uma necessidade de exposição a todo momento, pela facilidade cada vez maior do acesso à internet, por meio de Smartphone, tabletes e computadores portáteis.

De acordo com GUY Debord, com os avanços tecnológicos e a grande facilidade ao acesso às mídias sociais, o indivíduo passou a priorizar a exposição de tudo o que lhe acontece. Segundo ele, o espetáculo tornou-se “o coração da irrealidade da sociedade real”, descreve o autor por meio de uma de suas obras, “Asociedade do espetáculo”. É bem notório o alto índice de informações todos os dias expostas na internet. As pessoas publicam coisas relacionadas a sua vida pessoal, profissional, amorosa, familiar e até mesmo falam de assuntos mais polêmicos como política e religião. Um processo no qual se quebra a barreira entre o real e o virtual, em que o espaço público invade o privado.

O tempo excessivo diante de uma tela nos impulsiona a expor cada detalhe de nossas vidas, influencia na qual aderimos por meio do comportamento de grande parte dos usuários de diferentes mídias como; Facebook, Twitter e Instagram. Para a grande maioria das pessoas é inevitável deixar de compartilhar cada minuto de sua existência, fazendo de suas vidas um diário público, onde todos veem e contemplam. Segundo especialistas, é uma espécie de jogo em que se impulsiona a vontade de se mostrar para o outro como tentativa de reconhecimento e popularidade, em que seus valores são avaliados pela quantidade de curtidas ou comentários, criando uma falsa ideologia de que a vida do outro é sempre melhor e mais bela do que a nossa.

Mas, e até onde o público poderá fazer parte do privado? isso é, algo que não está sendo questionado por uma boa parte dos usuários das redes sociais, fornecendo informações que muitas vezes dizem respeito somente a si próprio ou a suas famílias.

Atitudes que podem até mesmo trazer risco a sua segurança. As redes sociais são fortes   aliadas quando utilizadas para informação, mobilização, notícias, todavia, a situação se complica quando o assunto é privacidade e segurança na web, tornando-se alvo fácil para hackers, spammers, ladrões de identidade e todo o tipo de criminosos virtuais.

O problema não está nas redes sociais, mas na forma com que a utilizamos. Devemos utilizá-la com moderação e consciência para que não tenhamos problemas futuros. É necessário que passamos a olhar as redes sociais como uma praça pública na qual nem tudo poderá ser mostrado, exibido ou publicado, sabendo preservar a nossa privacidade e de nossos familiares.